14 Dicas simples para cuidar bem de quem você ama

Posted on Posted in Coaching, Relacionamento, Sem categoria

Podemos ser excelentes pais, maridos e esposas no nível físico e péssimos companheiros no nível emocional. Podemos cuidar, alimentar, prover fisicamente, mas estarmos profundamente pobres emocionalmente.

O centro da nossa existência são sentimentos e emoções. De uma forma ou de outra estamos sempre usando as emoções como bússolas que indicam o caminho a seguir ou o próximo passo a ser dado. Subestimar as emoções é tão absurdo quanto subestimar o papel do coração no funcionamento do corpo.

É um erro enorme fazermos pouco, negligenciarmos aquilo que é o centro da nossa existência. Associarmos emoções com fraqueza também é um erro.

Muitas crianças são criadas tendo constantemente suas  emoções invalidadas, desrespeitadas, desprezadas. Note a diferença. Uma coisa é alimentar o drama infantil, a outra é validar emoções e seguir oferecendo orientação. O grande problema é que nós adultos também não tivemos as nossas emoções validadas e sequer recebemos orientações sobre esse assunto o que nos fez adultos completamente ignorantes quando tratando deste tema. Adultos no campo racional e crianças no emocional.

As consequencias da falta de validação da criança são adultos com sérios problemas de saúde, (psicossomatização) adultos que não conseguem se conectar profundamente com outras pessoas, ou ter um grau significativo de intimidade e que não confiam em si mesmos. Essas pessoas sentem constantemente alto grau de solidão, sensação de não pertencerem e de serem inadequadas. Nem imaginam como estão doentes emocionalmente.

No futuro, iremos olhar para trás e pensar como éramos trogloditas ao tratar as emoções com tamanho desprezo.

Precisamos validar as nossas emoções e as das pessoas ao nosso redor.

Faça uma experiência com uma criança ou adolescente que está triste, com raiva, ou outra emoção negativa pontual. Em vez de mudar de assunto, dizer que está tudo bem (quando não está), mandar parar de chorar, ou ficar perguntando porque a criança está sentindo ou tendo determinado comportamento, experimente fazer diferente:

1. Ajude – a colocar palavras na emoção. “Você está com raiva? Sim, eu te entendo. Eu também estaria no seu lugar”  (note: validar a emoção não é deixar o outro bater ou destruir alguma coisa).

2. Feito isso, deixe a criança digerir, processar o que foi dito, deixe que ela perceba que está sentindo determinado sentimento e que você está do lado dela.  Ajude – a explorar os sentimentos (nossa primeira impressão é de que o sentimento irá aumentar sem fim e causar grande estrago, mas não é assim. O sentimento emerge à superfície e uma vez expresso e aceito, começará a diminuir em intensidade desde que exista um próximo passo).

3. “O que podemos fazer para que você se sinta melhor? Quais possibilidades existem?” – Volte agora para buscar as possíveis soluções na linguagem da criança ou adolescente, mas só depois de saber que a emoção foi validada, compreendida e aceita.

Essa técnica vale para crianças, adolescentes e adultos.

Precisamos aprender a colocar palavras nas emoções.

Para ajudar alguém, não é indicado dizer que elas não deveriam sentir o que sentem. Se quisermos ajudar, temos que procurar entender, não é necessário concordar, mas sim entender.
E agora algumas sugestões práticas de como cultivar relacionamentos cuidando das emoções.

1. Expressar amor pela pessoa amada. Algumas pessoas tem a tendencia de “economizar” amor, achando que isso as tornará dependentes ou frágeis, ou que a outra pessoa ficará muito segura ou metida. Não é verdade.

2. Dê um presente, (não algo que você goste, mas que a pessoa goste) algo que demonstre
que  você se importa (desde que não seja a única forma de demonstrar amor como é o caso de alguns relacionamentos)

3. Passe tempo de qualidade com a pessoa e com a atenção não dividida. Deixe de lado o celular.

4. Mostre interesse pela pessoa. Sirva-a, ajude em casa ou com coisas que o outro esteja precisando.

5. Nunca ignore a sua presença,  não seja indiferente, não saia de um conflito, não se torne “de pedra”, não perca a conexão.

6. Fale do coração, foque a região cardíaca e fale. Em muitos casos deixe a mente um pouco de lado poque ela poderá vai julgar as emoções de forma muito negativa.

8.  Peça desculpas sem drama quando perceber que errou, expresse a emoção que sente ao perceber o erro.

9. Não despreze o seu próprio sentimento

10. Conheça as prioridades na sua vida – as pessoas que você ama são prioridades?

11. Incentive o parceiro a ser quem ele deseja ser. Não reprima, não acorrente-o.

12. Expresse o que quer e o que precisa – não é  justo querer que o outro adivinhe o que você quer e precisa. Encoraje a pessoa a fazer a mesma coisa.

13. Ria e divirta-se junto com seu parceiro. Faça coisas interessantes juntos.

14. Aprenda tudo sobre a pessoa que você gosta. Quanto mais você a conhece mais próximo está dela. Não pense que você já sabe tudo sobre ela. Examine com amor e curiosidade. Comente, escreva, compartilhe se gostou.

Esse texto é o resumo do vídeo da espiritualista Teal Swan. Assista clicando no link https://www.youtube.com/watch?v=wMC7ULTSPEE

Graziela atende por skype e presencialmente em sessões avulsas e pacotes.

One thought on “14 Dicas simples para cuidar bem de quem você ama

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *