11 PERGUNTAS PARA RESPONDER ANTES DE VIAJAR E SAIR DA ZONA DE CONFORTO

Posted on Posted in Sem categoria

“Falar sobre sair de casa é falar sobre sair da zona de conforto. É simbólico, é como cortar o cordão umbilical. É experimentar o desconhecido. É avançar as portas da segurança.

Vou falar da experiência pessoal, mas também talvez universal, de se sair do conhecido, pisar em terrenos surpreendentes, olhar para o que conhecemos de um ponto de vista novo, agregando novas perspectivas.

Só posso saber quem eu sou quando sei quem eu não sou. Só posso olhar para a minha família e ter uma opinião sobre ela quando eu conheço outras famílias e tenho uma noção do contraste.

Muitas vezes, querer viajar é querer fugir de alguma coisa. Descansar de si mesmo, dar uma pausa, esquecer o passado. O problema é que, nesse tipo de motivação, os fantasmas internos sempre vão junto. Levamos a nossa casa interna aonde levamos a nossa mente. Mesmo assim, viajar é bom de qualquer maneira para quem quer descansar, dar um tempo, fugir, e também para quem quer explorar, conhecer, expandir.

Cortar o cordão umbilical. Esse talvez tenha sido o objetivo mais importante de todas as minhas viagens. O conflito básico e constante sempre foi entre permanecer na zona de conforto, me nutrindo daquilo que chegava pronto para mim, ou me soltar, seguir rumo à liberdade, experimentar novas formas de ser, de pensar e de sentir, na eterna aventura então de buscar a essência de quem eu sou, poder agir, ser dona de mim.

Acho que esse foi o ponto nevrálgico de cada uma das minhas viagens, por mais que disfarçadas de outros motivos “mais nobres”, como ir para estudar, aprender inglês, entender outras culturas etc. Também, sim, foram importantes, mas, olhando de perto, o que eu queria mesmo era encontrar a minha força, a minha identidade, quem e o que realmente eu sou ou posso ser, e, para isso, sair do ninho era a primeira etapa”.

Esse é um trecho do meu mais novo livro, o qual estou em vias de publicar, chamado “Fora de Casa” . Nele, eu escrevo sobre períodos quando morei fora do meu país.

Viajar para mim é uma das coisas mais deliciosas que existem mas gera alguma ansiedade e demanda algumas respostas.

Pensando neste assunto e no número enorme de decisões que temos que tomar o tempo todo, andei pensando nas perguntas as quais considero mais importantes de serem respondidas antes de viajar.
Eu por exemplo, descobri, não muito cedo, que para mim viajar está totalmente relacionado a
1. Comida
2. Contato com pessoas de diferentes culturas

Não ligo muito para museus e muito menos para compras. Importante essas informações sobre meus interesses, para quando eu for planejar as próximas viagens, pesquisar sobre como interagir com pessoas locais e através delas aprender sobre seus hábitos e formas de pensar. Além disso usar mais o planejamento para saber onde comer. O resto para mim não tem muita importância.

Logo, não vou aproveitar tanto a viagem se for acompanhada de alguém que fique me arrastando para compras ou museus. Outra coisa que descobri foi que eu sei que preciso estar durante um tempo sozinha nas minhas viagens para pensar, escrever, curtir meus devaneios e inspirações. Não posso estar o tempo inteiro com pessoas, mesmo se forem as pessoas que mais amo na vida. Por outro lado para a viagem ser completa, se for uma viagem a passeio, vou precisar e querer mais do que tudo até, passar a maior parte do tempo com eles, então ter um equilíbrio perto e longe das nossas companhias, vai enriquecer a viagem. No meu caso 90% perto e 10% longe. rsrs

Para finalizar o texto e oferecer uma ordem prática para leitores que possam se interessar, eis as perguntas que se respondidas com sinceridade, vão fazer a viagem ficar muito mais gostosa, produtiva, assertiva e divertida. Coloco aqui o meu lado COACH da vida.

– Para que eu quero viajar? Quais os meus objetivos?
– Quais são as minhas expectativas?
– O que quero ver, aprender, ouvir?
– O que não pode dar errado?
– O que seria uma viagem ruim?
– Quanto tempo quero ficar?
– Quanto tenho para gastar?
– Qual a minha motivação mais profunda? Conhecer o novo, fugir do velho ou os dois?
– Que tipos de lugares eu gostaria de visitar?
– Quanto tempo eu tenho para fazer esta viagem?
– Gosto de viajar mais lentamente conhecendo melhor cada lugar ou prefiro visitar vários países ou cidade diferentes em pouco tempo?

Sendo assim deixe aqui o seu comentário ou responda à alguma pergunta que mais tenha te chamado a atenção.
Se quiser receber informações sobre o lançamento do novo livro, FORA DE CASA, me escreve, vou deixar um email aqui embaixo.

Gravei um vídeo também sobre o assunto. Assista por aqui:
Até breve,
Graziela Bergamini
@grazielabergamini_psicocoach
Graziela.bergamini@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *